Medicamentos

Ajuda a revitalizar a raiz do cabelo, normalizar o ciclo do folículo, prolongando a fase de crescimento. Ele também tem a função de estimular a multiplicação das células da raiz do pelo e a vascularização do couro cabeludo permitindo oxigenação da área. O Minoxidil tópico (Regaine®) tem demonstrado eficiência em diminuir a queda de cabelos, porém menos eficaz em promover novo crescimento de cabelos. A concentração maior (solução a 5%) está agora disponível para homens e se mostrou mais eficaz do que a solução a 2%. A solução a 5% geralmente não é recomendada para mulheres pois pode estimular o crescimento de pelos na face e também porque alguns estudos sugerem que nas mulheres não é mais eficaz do que a solução a 2%.

É um análogo direto da prostaglandina f2-alfa, que é utilizado em pacientes portadores de glaucoma e hipertensão ocular. Este uso apresenta como efeito adverso o aumento de número, comprimento e espessura dos cílios.

Com base nessa evidência, estudos recentes avaliaram a ação no tratamento de alopecia e foi observado um aumento significativo da densidade capilar, apresentando aumento tanto de pelos velus quanto de pelos terminais. Constatou-se que sua ação ocorre principalmente através do estímulo aos folículos capilares.

Observou-se que o desbalanço na concentração de prostaglandinas na região do couro cabeludo leva a uma redução da fase anágena e ao aumento das fases catágena e telógena, assim, maior proporção de fios permanecem na fase de queda e menor proporção na fase de crescimento capilar, gerando a alopecia.

Neste quadro, ocorre a miniaturização dos folículos capilares, reduzindo a conversão de pelos velus a pelos terminais, dando origem a pelos com tamanho e espessura reduzidos.

O uso de Latanoprosta tem apresentado resultados de grande eficácia, promovendo em um período relativamente curto o aumento significativo da densidade capilar e redução de sua queda. Sua ação estimulou o crescimento de maior quantidade de fios, que apresentaram também mais espessura e comprimento.

Finasterida é um remédio para a queda de cabelo masculino que reduz os efeitos danosos no couro cabeludo provocado pelo DHT e faz o cabelo crescer, porém, sua utilização em mulheres é questionável por ter efeitos negativos na gravidez e não tem efeito comprovado.

A Finasterida (Propecia®) medicação oral, foi introduzida no mercado e aprovada apenas para o uso masculino. Estudos científicos demonstraram o renascimento de cabelos em um número significativo de homens e a parada de queda de cabelo em uma porcentagem ainda maior. A ação da Finasterida faz diminuir a formação da DHT (Dihidro Testosterona), responsável, em grande parte,  pela calvície hereditária masculina. Essa ação não afeta a Testosterona, o hormônio responsável pela masculinidade.

Por essa razão, qualquer efeito secundário que possa envolver disfunção sexual masculina é moderado e ocorre em menos de 2% dos pacientes que fazem uso dessa substância. A Finasterida está no mercado há mais de 10 anos tendo se mostrada segura e eficiente. A Finasterida (Propecia®) funciona melhor na fase inicial da calvície ou na perda moderada de cabelos, podendo também ser usada para ajudar os pacientes com perda mais avançada de cabelos com o objetivo de preservar seus cabelos remanescentes. Seu uso é sugerido pelos cirurgiões de transplante de cabelos como uma medicação eficiente para deter ou reverter a perda de cabelos na calvície hereditária masculina em muitos homens. É frequentemente utilizada com tratamento complementar dos pacientes submetidos ao transplante.

Em termos de resultados, pode-se dizer que se consegue a longo prazo de 20% a 30%, no máximo, de crescimento de cabelo e que 40% não responde absolutamente à Finasterida.

Se a impressão genética for forte, o tratamento precisa ser mantido por toda a vida com doses terapêuticas iguais desde o início e curtos intervalos de repouso a partir de um ano de medicação. Indivíduos com menor influência genética devem tomar o remédio por um ano a um ano e meio. Em seguida, as doses passam a ser menores e mais distanciadas no tempo.

Tanto a Finasterida como o Minoxidil devem ser usados de maneira contínua para manter os resultados. Caso a medicação seja suspensa, a evolução da calvície recomeça. Essas medicações podem não funcionar para todas as pessoas, entretanto, ambas têm relatos provados de evolução demonstrando uma melhora significativa em muitos pacientes. O tratamento combinado com solução de Minoxidil e Finasterida oral pode prover um benefício adicional para homens com calvície hereditária.

Para as mulheres existe, ainda, a flutamida que apresenta excelentes resultados para a queda de cabelo feminino, mas seu uso precisa ser controlado para acompanhar os efeitos colaterais. Elas podem também usar hormônios por via oral ou diluídos em loção e aplicados na área afetada pela alopecia.

Marque sua consulta

Open chat