Cirurgia Robótica

Segundo a Associação Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar (ABCRC), estima-se que mais de 25 milhões de brasileiros do sexo masculino sofram de algum grau de calvície. A mais comum delas é a calvície de padrão masculino ou alopecia androgênica.

Em alguns homens, a perda de cabelo se inicia apenas a partir dos 30 ou 40 anos e por ser bastante comum, o mercado possui diversos tratamentos para o controle e diminuição da condição da calvície. Recentemente, a exclusiva e superavançada tecnologia robótica ARTAS, desenvolvida nos Estados Unidos, que realiza o transplante capilar por meio da tecnologia FUE (Follicular Unit Extraction) – processo durante o qual o médico remove unidades foliculares individuais a partir de uma área doadora (localizada na parte de traz e/ou laterais da cabeça) e transplanta estas unidades para uma área calva do couro cabeludo – chegou ao Brasil e ganhou grande destaque por seu alto padrão de precisão em tratamentos.

O robô permite um tratamento diferenciado para transplante capilar, já que permite resultados mais naturais e uma cicatrização praticamente invisível em um procedimento praticamente indolor e quase sem tempo de recuperação. O procedimento ARTAS dura de quatro a oito a horas e colhe unidades foliculares individuais em vez de remover uma grande área de couro cabeludo, o que elimina a necessidade de pontos e resulta em formação mínima de cicatrizes na área doadora. Assim, os pacientes podem utilizar cortes de cabelo em qualquer comprimento com confiança.

Sob o controle do médico, o ARTAS utiliza seu braço robótico e imagem digital sofisticada para coletar as unidades foliculares de melhor qualidade. Ele identifica digitalmente cada folículo existente e calcula a posição de cada fio, ângulo e outros parâmetros para controlar a coleta e atingir assim os melhores resultados.

O Dr. William Yates, especialista em transplante capilar e referência nos Estados Unidos, utiliza o aparelho há 3 anos e destacou que o ARTAS é uma revolução na medicina de transplante capilar. “Ele acrescenta muitos passos necessários para ajudar o paciente – por exemplo, quando ele vem pela primeira vez, você pode mostrar uma foto de como ele poderá ficar após o transplante através de uma simulação computadorizada”, ressalta o especialista.

Como não é realizada nenhuma incisão linear, o processo de cicatrização e o retorno às atividades diárias do paciente é muito rápido, levando em torno de 1 a 2 dias no máximo. Geralmente, os fios implantados começam a ser vistos cerca de três meses após o transplante e continuarão a crescer ao longo de um ano inteiro. Após esse período, já é possível desfrutar do resultado final.

Marque sua consulta

Open chat